Bairro de Alfornelos

Bairro de Alfornelos

O aparecimento do que viria a ser o seu primeiro núcleo urbano deu-se provavelmente no início do século passado, com o nome de Casal de Alfornel, por substituição de quintas e terrenos de cultivo por casas para habitação. O nome de origem árabe, que se supõe ser proveniente de antigos fornos que existiam e onde se coziam materiais como calcário e grossa cerâmica abundante nesta região.

A terminologia Alfornelos terá aparecido mais tarde para designar toda a zona do vale e é atualmente por esta que ela é conhecida, conforme consta da retificação da lei que cria o Município da Amadora.

A Quinta de Alfornel era uma zona de cultura e mato, onde se realizava anualmente a “Festa das Ervas” no dia 19 de junho, que consistia na procura de plantas medicinais.

Inicialmente pertencia ao município de Lisboa, através da sua integração na freguesia de Benfica, passando para o  concelho de Oeiras e, por fim, para o Concelho da Amadora, integrada na freguesia da Brandoa, numa situação de zona periférica deste concelho.

Nas décadas de 80 e 90, assistiu-se à ‘explosão’ da construção. Alfornelos abriga hoje um grande número de famílias, de diversas origens, etnias e credos.

Alfornelos só em 1997 adquiriu autonomia como freguesia.

A estação do Metropolitano de Alfornelos, foi inaugurada em 15 de maio de 2004. O projeto arquitetónico é da autoria do Arq.º Alberto Barradas e as intervenções plásticas são da autoria da Pintora Ana Vidigal.

Em 2013 de acordo com nova reorganização administrativa aprovada pela Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro a Freguesia de Alfornelos foi extinta tendo dado lugar à Freguesia de Encosta do Sol que também integrou a extinta Freguesia da Brandoa.